Menina dos olhos tristes

Écrit par Angelina Caussé. Publié dans Séquences

Um poema de Reinaldo Ferreira

Convergência entre uma obra de Dalí , um poema de Reinaldo Ferreira , uma adaptação musical por Zeca Afonso  e uma entrevista sobre os temas da espera , do desespero  e da dor  : Partir para não voltar...?   Porquê?  Para quê?

  • Vocabulaire utile

    Nomes                                                    Adjetivos                     Verbos
                                                                   Advérbios
                                                                   Locuções


    a mulher, a senhora, a mãe                     à espera                      fatigar, pensar, apagar
    o homem, o senhor, o pai                        também                        fumar, lembrar-se
    a filha, a irmã, a namorada, a noiva        depressa                      cansar, entristecer
    o amigo, o irmão, o familiar                     o sustento                    chorar, saber, informar
    a falta, a espera, a esperança                 mesmo                         esperar, voltar, regressar
    a desilusão, a tristeza, a certeza             quase                           estar mudo,  calar(-se)
    a partida, a guerra, as armas                  amargo                         sentir peso, pena, pesar
    a colonização, a política, a estupidez      estúpido                       ir para a guerra, retornar
    a carta, a notícia, a lua                            claridade                      esclarecer
    a morte, a desaparição, o luto                 obscuridade                 morrer
    o tear,   o cachimbo                                 ocupado                       tecer,  bordar,    fumar

  • Menina dos olhos tristes

    Menina dos olhos tristes,
    O que tanto a faz chorar?
    - O soldadinho não volta
    Do outro lado do mar.

    Senhora de olhos cansados,
    Porque a fatiga o tear?
    - O soldadinho não volta
    Do outro lado do mar.

    Vamos, senhor pensativo,
    Olhe o cachimbo a apagar.
    - O soldadinho não volta
    Do outro lado do mar.

    Anda bem triste um amigo,
    Uma carta o fez chorar.
    - O soldadinho não volta
    Do outro lado do mar.

    A Lua, que é viajante,
    É que nos pode informar
    - O soldadinho já volta
    Do outro lado do mar.

    O soldadinho já volta,
    Está quase mesmo a chegar.
    Vem numa caixa de pinho.
    Desta vez o soldadinho
    Nunca mais se faz ao mar.

    Reinaldo Ferreira - O Nosso amargo cancioneiro, 1973

  • Expression orale et enregistrement

    Descreva oralmente e livremente a Menina à janela de Dalí, imaginando a vida dela, o que ela observa e o que ela espera...

  • Le poème chanté par José Afonso, suivi d'un reportage poignant

    Écouter et voir

    1. Menina dos olhos tristes por Zeca Afonso - 2. Entrevista
  • Exercice de mémorisation lexicale

    Complete o poema que já leu e memorizou.

    Menina dos olhos tristes

    Menina dos ........................ tristes,
    O que tanto a faz  ........................?
    - O soldadinho não  ........................
    Do outro lado do  .........................

    Senhora de olhos  ........................,
     ........................ a fatiga o tear?
    - O  ........................ não volta
    Do outro lado do mar.

    Vamos,  ........................ pensativo,
    Olhe o  ........................ a apagar.
    - O soldadinho não volta
    Do outro  ........................ do mar.

    Anda bem triste um  ........................,
    Uma  ........................o fez chorar.
    - O soldadinho não volta
    Do outro lado do  .........................

    A Lua, que é  ........................,
    É que nos pode  ........................
    - O soldadinho já volta
    Do  ........................ lado do mar.

    O soldadinho  ........................ volta,
    Está  ........................mesmo a chegar.
    Vem numa caixa de  ........................ .
    Desta vez o soldadinho
     ........................mais se faz ao mar.

    Reinaldo FerreiraO Nosso amargo cancioneiro, 1973

  • 1. Questions sur la poésie

    Perguntas sobre a poesia 

    1. O que é que, desde o início, evoca o título?
    2. Que evocam as palavras do refrão?
    3. Quem são as várias pessoas evocadas nas quatro primeiras estrofes?
    4. O que é que causa a falta do soldadinho?
    5. Onde estará ele? Porquê?
    6. Que pode recear a família? 
    7. Que aconteceu, afinal? Como se sabe?
    8. Qual é, no poema, o papel desempenhado pela lua?
    9. Explique o valor do diminutivo na palavra "soldadinho".
    10. Tente definir o valor duma sugestão em poesia.

    - Pistes pour les réponses

    Perguntas sobre a poesia 

    1. O que é que, desde o início, evoca o título?
    → a tristeza, a melancolia, a pena

    2. Que evocam as palavras do refrão?
    → a certeza repetida, absoluta, que o soldadinho já não há de voltar do Ultramar. 

    3. Quem são as várias pessoas evocadas nas quatro primeiras estrofes?
    → a menina, a senhora, o senhor, um amigo = a família, os amigos, a namorada...

    4. O que é que causa a falta do soldadinho?
    → Lágrimas, cansaço, nostalgia, saudade, e muita pena

    5. Onde estará ele? Porquê?
    → Na tropa = na guerra. Época das guerras de colonização. O poema é anterior à revolução. 

    6. Que pode recear a família?
    → a perda de um filho, a morte do namorado, do amigo. A guerra é perigosa.

    7. Que aconteceu, afinal? Como se sabe?
    → O soldado morreu. Volta numa caixa de pinho, símbolo do caixão.

    8. Qual é, no poema, o papel desempenhado pela lua?
    → O clarão da lua "sabe" e ilumina tudo. Acompanha interiormente os pensamentos tristes, acaricia-os. Apazigua com a noite.

    9. Explique o valor do diminutivo na palavra "soldadinho".
    → Talvez o facto de o soldado ser um rapaz novo. A partir dos dezoito anos, podiam partir para a guerra.

    10. Tente definir o valor duma sugestão em poesia.
    → Sugerir é menos brutal que dizer, explicar, anunciar a fria e dolorosa realidade. 

    2. Questions sur la vidéo

    Perguntas

    1. O vídeo mostra diferentes fotografias. O que representam?
    2. Depois da canção interpretada por Zeca Afonso, do que fala o filme?
    3. Quem são as pessoas entrevistadas?
    4. A jovem mulher não conheceu o pai. Porquê?
    5. Qual é a conclusão a que chega a menina?

    - Pistes pour les réponses

    Pistas para as respostas

    1. O vídeo mostra diferentes fotografias. O que representam?
    → Uma mulher, uma mãe? Uma rapariga, uma irmã ou uma namorada ou uma noiva? Um senhor, um pai? Soldados, a fazerem a guerra... O mar...

    2. Depois da canção interpretada por Zeca Afonso, do que fala o filme?
    → Fala de uma família de luto. Perderam um filho durante a guerra. Colonização. Descolonizar é o título do vídeo...

    3. Quem são as pessoas entrevistadas?
    → Os familiares de um soldado que morreu na guerra.

    4. A jovem mulher não conheceu o pai. Porquê?
    → Porque era muito bebé, novinha, quando o pai faleceu. Nem se sabe se o pai a conheceu...

    5. Qual é a conclusão a que chega a menina?
    → Que a guerra é terrível, para ela e para todos os que sofreram a mesma desgraça : perder uns filhos...

    3. Tradução

    Traduza para português as frases seguintes, inspirando-se dos versos do poema :

    Le monsieur pensif est bien triste car une lettre l'a fait pleurer.

    Il attend son fils qui est loin.

    Il craint pour sa vie.  

    - Pistes pour la traduction

    Pistas para a tradução :

    Le monsieur pensif est bien triste car une lettre l'a fait pleurer.
    O senhor pensativo anda bem triste porque uma carta o fez chorar.

    Il attend son fils qui est loin;
    Espera pelo filho que está longe;

    Il craint pour sa vie.
    Receia pela vida dele.
     

  • Pour aller plus loin...

    • Lisez ou étudiez le poème Litoral  de Sidonio Muralha.
    • Allez découvrir la séquence sur la Révolution des œillets .
    • Rendez-vous sur le site du Museo Reina Sofia  pour découvrir d'autres œuvres de Dali .
    • Moins gai. Pour connaître un peu mieux les tragédies vécues au cours des Guerras de Ultramar, visitez l'une des pages de ce  site .   Analysez les lieux, époques et causes de ces tragédies.

     

  • Niveau B1 - Écouter - 60


    Écouter : je peux comprendre des points essentiels quand un langage clair et standard est utilisé et s’il s’agit de sujets familiers concernant la vie quotidienne. Je peux comprendre l’essentiel de nombreuses chansons, émissions de radio ou de télévision sur l’actualité ou sur des sujets qui m’intéressent, si l’on parle d’une façon relativement claire et distincte. (B1)
    [60] Je peux comprendre les idées principales d’un propos clair et standard sur des sujets familiers et habituels.

    Niveau B1 - S’exprimer oralement en continu - 78


    S’exprimer oralement en continu : Je peux m’exprimer de manière simple afin de raconter des expériences et des événements. Je peux brièvement donner les raisons et les explications de mes opinions. Je peux raconter une histoire ou l’intrigue d’un film et exprimer mes réactions. (B1)
    [78] Je peux raconter une histoire ou l’intrigue d’un livre ou d’un film et exprimer mes réactions.

    Niveau B2 - Lire - 101

    Lire : Je peux lire des articles en langue et des rapports sur des questions contemporaines dans lesquels les auteurs adoptent une attitude particulière ou un certain point de vue. Je peux comprendre un texte littéraire contemporain en prose. (B2)
    [101] Je peux reconnaître les points importants de l’argumentation d’un texte mais pas forcément le détail.

    Notion abordée : L’art de vivre ensemble

    1. Mémoire : héritage et ruptures

    La mise en tension des termes « héritage » et « ruptures » interroge sur la manière dont des individus, des familles, des peuples, des communautés font face à leur passé en cherchant à maintenir un équilibre, souvent fragile, entre continuité et rupture.

    EN QUOI LA FAMILLE EST-ELLE REPRÉSENTATIVE D’UNE ÉPOQUE?

    Source : Eduscol

Tags: Niveau B1 Littérature Poésie Arts Peinture Niveau B2 Notion : L’art de vivre ensemble Notion : Espaces et échanges

Clique para escutar o texto realçado !