No Hipódromo

Écrit par Angelina Caussé. Publié dans Séquences

Extrait du roman d'Eça de Queirós - Os Maias

Personnages de roman et Histoire - Cette "scène de la vie romantique" extraite de Os Maias est-elle révélatrice de la réalité de la société portugaise du XIXème siècle ? L'hippodrome a-t-il été un haut lieu du pouvoir ?

  • Descrição de uma ilustração sobre as corridas de cavalos no hipódromo de Belém.

    Lightbox Image

     
    Corridas no hipódromo

    Diante deles, o hipódromo elevava-se suavemente em colina, parecendo, depois da poeirada quente da calçada e das cruas reverberações da cal, mais fresco, mais vasto com a sua relva já um pouco crestada pelo sol de junho, e uma ou outra papoula vermelhejando aqui e além. [...] Para além, dos dois lados da tribuna real forrada de um baetão vermelho de mesa de Repartição, erguiam-se as duas tribunas públicas, com o feitio de traves mal pregadas, como palanques de arraial.   Clique para escutar o texto realçado ! Diante deles, o hipódromo elevava-se suavemente em colina, parecendo, depois da poeirada quente da calçada e das cruas reverberações da cal, mais fresco, mais vasto com a sua relva já um pouco crestada pelo sol de junho, e uma ou outra papoula vermelhejando aqui e além. [...] Para além, dos dois lados da tribuna real forrada de um baetão vermelho de mesa de Repartição, erguiam-se as duas tribunas públicas, com o feitio de traves mal pregadas, como palanques de arraial.

    [Uma aragem larga e repousante chegava vagarosamente do rio.
    No centro, como perdido no largo espaço verde, negrejava, no brilho do sol, um magote apertado de gente, com algumas carruagens pelo meio, de onde sobressaíam tons claros de sombrinhas, o faiscar dum vidro de lanterna, ou um casaco branco de cocheiro.]

    Eça de Queirós, in Os Maias, 1888

    Fonte :
    Biblioteca Nacional : http://purl.pt/93/1/iconografia/os_maias/j3001_2_1876_n1352_fic.html
    Restos de colecção : http://restosdecoleccao.blogspot.fr/2011/06/hipodromo-de-belem.html

  • Lisez et écoutez le vocabulaire. Retenez l'orthographe et la prononciation des mots nouveaux.

    As corridas

    o cavalo, a égua, o potro   
    a corrida → correr,  galopar  
    a pista, o terreno   
    o juiz de partida, a bandeirinha       
    o jóquei, a jaqueta, o selim      
    o chicote, a vergastada   
    a meta → ultrapassar, arremessar  
    a chegada → vencer    

    O público   

    o hipódromo                    → assistir, apostar, jogar    
    o proprietário                  →  possuir, ganhar dinheiro               
    o interesse                      →  interessar, apostar      
    o treinador                      →  treinar, vencer    
    a moda                           →  representar, mostrar      
    a mulher, a burguesa     →  vestir, trajar 
    o senhor, o burguês      
    o binóculo     
    o chapéu    
    o vestido   
    a bengala    

    A pintura de uma sociedade    

    o luxo  
    a tribuna real   → o rei (Dom Luís I de Portugal)
    a nobreza, a burguesia   
    o baetão     → o tecido
    as aparências  → ostentatório    
    os costumes, os hábitos     
    o traje, o vestuário  
    a competitição  → vencer  →  dominar   
    o poder, o dinheiro     

     

  • No Hipódromo (version courte)

    Os cavalos passaram juntos diante da tribuna. Todos se ergueram, de binóculos na mão. O Juiz de partida ainda estava na pista, com a bandeirinha vermelha inclinada ao chão : e as ancas dos cavalos fugiam na curva, lustrosos à luz, sob as jaquetas enfunadas dos jóqueis.
    Eh, Minhoto! - gritou de repente o Taveira. Na volta, com efeito, fizera-se uma mudança. Subi­tamente, Rabino perdera terreno, resistindo à subi­da, com o fôlego curto. E agora era Minhoto, o ca­valicoque obscuro de Manuel Godinho, que se arre­messava para a frente, vinha devorando a pista, num esforço contínuo, admiravelmente montado por um jó­quei espanhol. E logo atrás vinha Vladimiro. A cor­rida travava-se entre ele e Minhoto. Os amigos de Godinho, precipitando-se para a pista, bradaram de chapéus no ar:
    - Anda, Minhoto!... Isso, assim!... Aguenta, rapaz!... Bravo!... Minhoto, Minhoto!... De repente, de baixo, de ao pé da tribuna, outra exclamação partiu:
    - Vladimiro! Vladimiro!
    Com um arranque desesperado o potro viera juntar-se a Minhoto; e agora chegavam furiosamente, com brilhos vivos de cores claras, os focinhos juntos, os olhos esbugalhados, sob uma chuva de vergastadas.
    - Vladimiro! Vladimiro! - foram de novo os gritos isolados aqui e além. Os dois cavalos aproximavam-se, com um som surdo das patas, fazendo um ar de rajada.
    - Minhoto! Minhoto!
    - Vladimiro! Vladimiro!
    Chegavam... De repente o jóquei inglês de Vladi­miro, todo em fogo, levantando o potro, que lhe pa­recia fugir de entre as pernas, esticado e lustroso, fez silvar triunfantemente o chicote, e de um arre­messo direto lançou-o além da meta, duas cabeças adiante de Minhoto, todo coberto de espuma.

    Eça de Queirós - Os Maias, 1888.
  • Descrever oralmente uma ilustração sobre a tribuna no hipódromo. Gravar a narração.

    Lightbox Image

    Fonte : Wikipédia

  • No Hipódromo  (Version longue)

    Ao longe os cavalos davam a volta, na subida do terreno. Rabino já desaparecera — e Vladimiro, num galope a que se sentia o cansaço, corria só na pista. Uma voz elevou-se, dizendo que ele manquejava. Então Carlos, que continuava a tomar Vladimiro contra o campo, sentiu que lhe puxavam devagar pela manga; voltou-se; era o secretário de Steinbroken, chegando, subtilmente, a tomar também parte no saque à bolsa do Maia, propondo dois soberanos, no seu nome e em nome do seu chefe, como uma aposta coletiva da Legação, a aposta do reino da Finlândia. - C'est fait, monsieur! — exclamou Carlos, rindo.
    Agora começava a divertir-se. Apenas vira de relance Vladimiro, e gostara da cabeça ligeira do potro, do seu peito largo e fundo; mas apostava sobretudo para animar mais aquele recanto da tribuna, ver brilhar gulosamente os olhos interesseiros das mulheres. Teles da Gama ao lado aprovava-o, achava aquilo patriótico e chique.
    - É Minhoto! — gritou de repente Taveira. Na volta, com efeito, fizera-se uma mudança. Subitamente Rabino perdera terreno, resistindo à subida, com o fôlego curto. E agora era Minhoto, o cavalicoque obscuro de Manuel Godinho, que se arremessava para a frente, vinha devorando a pista, num esforço contínuo, admiravelmente montado por um jóquei espanhol. E logo atrás vinham as cores escarlates e brancas de Darque: ao princípio ainda pareceu que era Rabino: mas, apanhado de repente num raio oblíquo de Sol, o cavalo cobriu-se de tons lustrosos de baio-claro, e foi uma surpresa ao reconhecer-se que era Vladimiro! A corrida travava-se entre ele e Minhoto. Os amigos de Godinho, precipitando-se para a pista, bradavam, de chapéus no ar:
    - Minhoto! Minhoto!
    E, em redor de Carlos, os que tinham apostado pelo campo contra Vladimiro faziam também votos por Minhoto, em bicos de pés, junto do parapeito da tribuna, estendendo o braço para ele, animando-o:
    - Anda Minhoto!... Isso, assim!... Aguenta, rapaz!... Bravo!... Minhoto! Minhoto!

    A russa, toda nervosa, na esperança de ganhar a poule, batia as palmas. Até a enorme Craben se erguera, dominando a tribuna, enchendo-a com os seus gorgorões azuis e brancos : — enquanto que, ao lado dela, o conde de Gouvarinho, também de pé, sorria, contente no seu peito de patriota, vendo naqueles jóqueis à desfilada, nos chapéus que se agitavam, brilhar civilização... De repente, de baixo, de ao pé da tribuna, de entre os rapazes que cercavam o Darque, uma exclamação partiu.
    - Vladimiro! Vladimiro! Com um arranque desesperado o potro viera juntar-se a Minhoto: e agora chegavam furiosamente, com brilhos vivos de cores claras, os focinhos juntos, os olhos esbugalhados, sob uma chuva de vergastadas. Teles da Gama, esquecido da sua aposta, todo pelo Darque, seu íntimo, berrava por Vladimiro. A russa, de pé num degrau, apoiada sobre o ombro de Carlos, pálida, excitada, animava Minhoto com gritinhos, com pancadas de leque. A agitação daquele canto da tribuna estendera-se em baixo ao recinto — onde se via uma linha de homens, contra a corda da pista, bracejando. Do outro lado, era uma fila de rostos pálidos, fixos numa curta ansiedade. Algumas senhoras tinham-se posto de pé nas carruagens. E através da colina, para ver a chegada, dois cavaleiros, segurando com as mãos os chapéus baixos, corriam à desfilada.

    - Vladimiro! Vladimiro! — foram de novo os gritos isolados, aqui, além. Os dois cavalos aproximavam-se, com um som surdo das patas, trazendo um ar de rajada. 
    - Minhoto! Minhoto!
    - Vladimiro! Vladimiro!
    Chegavam... De repente o jóquei inglês de Vladimiro, todo em fogo, levantando o potro que lhe parecia fugir de entre as pernas, esticado e lustroso, fez silvar triunfantemente o chicote, e de um arremesso direto lançou-o além da meta, duas cabeças adiante de Minhoto, todo coberto de espuma. Então em volta de Carlos foi uma desconsolação, um longo murmúrio de lassidão. Todos perdiam; ele apanhava a poule, ganhava as apostas, empolgava tudo. Que sorte! Que chance! Um adido italiano, tesoureiro da poule, empalideceu ao separar-se do lenço cheio de prata: e de todos os lados
    mãozinhas calçadas de gris-perle, ou de castanho, atiravam-lhe com um ar amuado as apostas perdidas, chuva de placas que ele recolhia, rindo, no chapéu. 
    - Ah, monsieur — exclamou a vasta ministra da Baviera, furiosa — mefiez-vous... Vous connaissez le proverbe: heureux au jeu... 
    - Hélas! madame! — disse Carlos, resignado, estendendo-lhe o chapéu. E outra vez um dedo subtil tocou-lhe no braço. Era o secretário de Steinbroken, lento e silencioso, que lhe trazia o seu dinheiro e o dinheiro do seu chefe, a aposta do reino da Finlândia. 
    - Quanto ganha você? — exclamou Teles da Gama, assombrado. Carlos não sabia. No fundo do chapéu já reluzia ouro. 

    Eça de Queirós - Os Maias, 1888.


    Fonte : Infopédia
    Ver também as personagens de Os Maias : 
     https://pt.wikipedia.org/wiki/Categoria:Personagens_d%27Os_Maias

  • 1. Descrição da cena

    Descrição da cena

    1. Onde se situa a cena ?  
    2. Cite uns elementos do texto que permitem visualizar :  
          a) o lugar   
          b) os acessórios vestimentares      
    3. Quem são as diferentes pessoas evocadas ?  
    4. Quais são os nomes dos diferentes cavalos ?  
    5. Quem é o Minhoto ?  
    6. Que cavalo venceu a corrida ?  
    7. Escolha duas palavras que melhor definem a atmosfera da cena :  
        a) entusiasmo      b) excitação       c) triunfo      d) desespero     e) barulho      f) confusão
    8. Justifique as suas respostas (n°7) citando palavras ou expressões do texto.    

    - Pistes pour les réponses

    Descrição da cena : ....

    1. Onde se situa a cena ? 
    num hipódromo / perto da tribuna / perto da pista

    2. Cite uns elementos do texto que permitem visualizar o lugar e os acessórios vestimentares. 
    → a) a pista, o terreno, a tribuna...
    → b) binóculos, bandeirinha, jaquetas, chapéus, ...


    3. Quem são as diferentes pessoas evocadas ? 
    → Taveira, Manuel Godinho, o jóquei espanhol, inglês, os espectadores...

    4. Quais são os nomes dos diferentes cavalos ? 
    → Rabino, Minhoto, Vladimiro

    5. Quem é o Minhoto ? 
    → O Minhoto era o ca­valicoque obscuro de Manuel Godinho... + Minhoto

    6. Que cavalo venceu a corrida ? 
    → Vladimiro

    7. Escolha duas palavras que melhor definem a atmosfera da cena :
        a) entusiasmo - b) excitação - c) triunfo - d) desespero - e) barulho - f) confusão

    8. Justifique a sua resposta (n°7) citando duas palavras ou expressões do texto : 
    →     a) entusiasmo = todos se ergueram, chapéus no ar, uma exclamação
    →     b) excitação = Os amigos de Godinho, precipitando-se para a pista, bradaram de chapéus no ar...

    2. Descrição das personagens

    Descrição das personagens do texto No Hipodromo (2)
    • 1. Classifique em diferentes categorias as personagens evocadas no segundo trecho.
          - Quem é o protagonista ? Porquê ? Como se sabe ?

      2. Levante e classifique as palavras relativas à moda, ao vestuário e aos acessórios de luxo.

      3. Levante e classifique as palavras relativas à riqueza, ao dinheiro, e ao luxo.

      4. Entre as palavras que acabou de citar, quais delas melhor participam numa pintura da sociedade?

      5. Qual é a camada social pintada por Eça de Queirós ?

      6. Analise a descrição das mulheres evocadas no extrato :
          - nomes
          - adjetivos com função caricatural
          - atitudes
          - descrição (ou evocação) física
         
      7. Explique a frase : "Do outro lado, era uma fila de rostos pálidos, fixos numa curta ansiedade."

      8. Porque é que "em volta de Carlos foi uma desconsolação, um longo murmúrio de lassidão." ?

      9. Que palavras ou expressões mostram a irritação dos que perderam as apostas ?

      10. Complete o resumo com as palavras propostas :

      apostar – campos – cavalos – contra – corrida – decide – divertimento – favorito
      – irritação – peito – perderam – poule – prefere – último – vence

      A …............................ do Grande Prémio Nacional.

      Dos quatro ............................ inscritos na corrida, o ............................ é «Rabino». Todos querem ............................ nele. Só o Carlos repara no ............................ demasiadamente estreito do favorito e ............................ «Vladimiro» : « Gostara da cabeça ligeira do potro, do seu peito largo e fundo...». Por « ............................» de homem rico e também «para animar mais aquele recanto da tribuna, ver brilhar gulosamente os olhos interesseiros das mulheres», ............................ então apostar em «Vladimiro» que ia em ............................ lugar na corrida. Formam-se dois « ............................» : todos ............................ Carlos. Quando «Vladimiro» ............................ a corrida, Carlos ganha a ............................ (o conjunto das apostas), o que provoca a ............................ dos que .............................
       

     

    - Pistes pour les réponses

    Descrição das personagens do texto No Hipodromo (2)
    • 1. Classifique em diferentes categorias as personagens evocadas no segundo trecho.
      → homens e mulheres da alta burguesia, secretário da Legação finlandesa, ministra
      Quem é o protagonista ?  → Carlos = Maia
      Porquê ? → Está no centro da cena. Ele ri-se e ganha... A visão do episódio passa pelos seus olhos...

      2. Levante e classifique as palavras relativas à moda, ao vestuário e aos acessórios de luxo.  
      gorgorões, (luvas), leques, chapéus... Carruagens

      3. Levante e classifique as palavras relativas à riqueza, ao dinheiro e ao luxo.
      → bolsa, soberanos, apostas, poule, prata, placas, dinheiro, ouro

      4. Entre as palavras que acabou de citar (1-2-3), quais delas melhor participam numa pintura da sociedade?
      Legação, ministra, (luvas), leques, chapéus... Carruagens, ouro

      5. Qual é a camada social pintada por Eça de Queirós ?
      alta burguesia, aristocracia, (diplomacia / politica)

      6. Analise a descrição das mulheres evocadas no extrato :
          - nomes : a russa, Craben...
          - adjetivos com função caricatural : nervosa, pálida, excitada, olhos interesseiros, enorme, vasta...
          - atitudes : se ergueram, gritinhos, pancadas de leque, senhoras tinham-se posto de pé nas carruagens...
          - descrição (ou evocação) física : gorgorões, mãos calçadas de gris-perle ou castanho,
         
      7. Explique a frase : "Do outro lado, era uma fila de rostos pálidos, fixos numa curta ansiedade."
      → Começavam a compreender que iam perder... as apostas e o dinheiro. Paixão do jogo.

      8. Porque é que "em volta de Carlos foi uma desconsolação, um longo murmúrio de lassidão." ?
      → Todos perderam as apostas menos o Carlos.

      9. Que palavras ou expressões mostram a desilusão e a irritação dos que perderam as apostas ?
      → desconsolação, longo murmúrio de lassidão, empalideceu ao separar-se do lenço cheio de prata, atiravam-lhe com um ar amuado, furiosa, mefiez-vous, lento e silencioso, assombrado.

      10. Complete o resumo com as palavras propostas :

      apostar – campos – cavalos – contra – corrida – decide – divertimento – favorito
      – irritação – peito – perderam – poule – prefere – último – vence


      A corrida do Grande Prémio Nacional.

      Dos quatro cavalos inscritos na corrida, o favorito é «Rabino». Todos querem apostar nele. Só o Carlos repara no peito demasiadamente estreito do favorito e prefere «Vladimiro» : « Gostara da cabeça ligeira do potro, do seu peito largo e fundo...». Por «divertimento» de homem rico e também «para animar mais aquele recanto da tribuna, ver brilhar gulosamente os olhos interesseiros das mulheres», decide então apostar em «Vladimiro» que ia em último lugar na corrida. Formam-se dois «campos» : todos contra Carlos. Quando «Vladimiro» vence a corrida, Carlos ganha a poule (o conjunto das apostas), o que provoca a irritação dos que perderam.

     

    3. Lugar e época

    A época

    Procure, na barra cronólogica e nesta lista de monarcas quem era o chefe da nação portuguesa em 1888. 

    O lugar

    Procure onde se situa Belém. Procure informações ou ilustrações sobre o hipódromo de Belém e a sua localização geográfica.

    4. Retrato do protagonista

    Carlos da Maia

    Apoiando-se em elementos do texto, tente realizar um retrato de Carlos da Maia.

     

  • Os Maias - Corrida de cavalos
    Pré-visualizar

  • Lightbox Image

    Eça de Queirós

    José Maria de Eça de Queirós nasceu em 25 de novembro de 1845, numa casa da Praça do Almada na Póvoa de Varzim, no centro da cidade. Foi batizado na Igreja Matriz de Vila do Conde.
    Filho de José Maria Teixeira de Queirós, nascido no Rio de Janeiro em 1820, e de Carolina Augusta Pereira d'Eça, nascida em Monção em 1826. O pai de Eça de Queirós, magistrado e par do reino, convivia regularmente com Camilo Castelo Branco, quando este vinha à Póvoa para se divertir no Largo do Café Chinês.

    Fonte : Wikipédia

     
     
  • Niveau B1 - Lire - 71

    Lire : Je peux comprendre des textes rédigés essentiellement dans une langue courante ou relative à mon travail. Je peux comprendre la description d’événements, l’expression de sentiments et de souhaits dans des lettres personnelles. (B1)
    [71] Je peux reconnaître les points importants de l’argumentation d’un texte mais pas forcément le détail.

    Niveau B2 - Lire - 100

    Lire : Je peux lire des textes dans lesquels les auteurs adoptent une attitude particulière ou un certain point de vue. Je peux comprendre un texte littéraire en prose. (B2)
    [100] Je peux reconnaître les conclusions principales de textes argumentatifs écrits clairement.

    Niveau B2 - Lire - 101

    Lire : Je peux lire des textes dans lesquels les auteurs adoptent une attitude particulière ou un certain point de vue. Je peux comprendre un texte littéraire en prose. (B2)
    [101] Je peux reconnaître les points importants de l’argumentation d’un texte mais pas forcément le détail.


    Notion abordée : Lieux et forme du pouvoir

Tags: Niveau B1 Histoire Littérature Roman Cinéma Société Niveau B2 Notion : Lieux et formes de pouvoir

Clique para escutar o texto realçado !