Se depois de eu morrer

Écrit par Angelina Caussé. Publié dans Séquences

Heterónimos e poesia : Fernando Pessoa ou Alberto Caeiro ?

  • Um poema de Alberto Caeiro
    Se depois de eu morrer... 

    Se depois de eu morrer,
    quiserem escrever a minha biografia,
    Não há nada mais simples
    Tem só duas datas — a da minha nascença e a da minha morte.
    Entre uma e outra cousa todos os dias são meus.
    Sou fácil de definir.
    Vi como um danado.
    Amei as cousas sem sentimentalidade nenhuma.
    Nunca tive um desejo que não pudesse realizar,
    porque nunca ceguei.
    Mesmo ouvir nunca foi para mim senão um acompanhamento de ver.
    Compreendi que as cousas são reais e todas diferentes umas das outras ;
    Compreendi isto com os olhos, nunca com o pensamento.
    Compreender isto com o pensamento seria achá-las todas iguais.
    Um dia deu-me o sono como a qualquer criança.
    Fechei os olhos e dormi.
    Além disso, fui o único poeta da Natureza. 

    Alberto Caeiro, in "Poemas Inconjuntos" - Date. pp
    Heterónimo de Fernando Pessoa
  • Surlignez, écoutez et mémorisez l'orthographe des mots suivants :

    Biografia  

    simples
    a data   
    a nascença, a morte    
    o dia    

     Espírito e sentimentos

    o danado
    a sentimentalidade     
    o desejo   
    o acompanhamento
    o pensamento   
    o sono    
    a criança     
    o único  
    o poeta   
    a Natureza

    Verbos

    ver
    amar
    poder
    realizar
    cegar
    ouvir
    compreender
    dar
    fechar
    dormir  

  • Apprenez le poème. Enregistrez-vous et envoyez-moi votre fichier à l'aide de l'outil Falar.

    Écoutez-vous avant de l'envoyer.
    

     

  • Vous avez appris le poème. Essayez de le reconstituer.

    Se depois de eu morrer

    Se ........................ de eu morrer,
    quiserem escrever a minha biografia,
    Não ........................ nada mais ........................ 
    Tem ........................ duas datas — a da minha ........................ e a da minha morte.
    Entre uma e outra coisa todos os dias são ........................ .
    Sou ........................ de definir.
    Vi como um ........................ .
    Amei as cousas sem ........................ nenhuma.
    Nunca tive um ........................ que não pudesse realizar,
    ........................ nunca ceguei.
    Mesmo ouvir nunca foi para mim senão um ........................ de ver.
    ........................ que as coisas são reais e todas diferentes umas das outras ;
    Compreendi isto com os olhos, ........................  com o pensamento.
    Compreender isto com o pensamento seria ........................ -las todas ........................ .
    Um dia deu-me o sono como a ........................ criança.
    Fechei os olhos e dormi.
    ........................ disso, fui o ........................ poeta da ........................ . 

    Alberto Caeiro

  • 1. Questions sur la poésie

    Perguntas sobre a poesia 

    1. O que é que, desde o início, evoca o título?
    2. Que evocam as palavras do refrão?
    3. Quem são as várias pessoas evocadas nas quatro primeiras estrofes?
    4. O que é que causa a falta do soldadinho?
    5. Onde estará ele? Porquê?
    6. Que pode recear a família?
    7. Que aconteceu, afinal? Como se sabe?
    8. Qual é, no poema, o papel desempenhado pela lua?
    9. Explique o valor do diminutivo na palvra "soldadinho".
    10. Tente definir o valor duma sugestão em poesia.

    - Pistes pour les réponses

    Perguntas sobre a poesia 

    1. O que é que, desde o início, evoca o título?
    → a tristeza, a melancolia, a pena
    2. Que evocam as palavras do refrão?
    → a certeza repetida, absoluta, que o soldadinho já não há de voltar do ultramar. 
    3. Quem são as várias pessoas evocadas nas quatro primeiras estrofes?
    → a menina, a senhora, o senhor, um amigo = a família, os amigos, a namorada...
    4. O que é que causa a falta do soldadinho?
    → Lágrimas, cansaço, nostalgia, saudade, e muita pena
    5. Onde estará ele? Porquê?
    → Na tropa = na guerra. Época das guerras de colonização. O poema é anterior à revolução. 
    6. Que pode recear a família?
    → a perda de um filho, a morte do namorado, do amigo. A guerra é perigosa.
    7. Que aconteceu, afinal? Como se sabe?
    → O soldado morreu. Volta numa caixa de pinho, símbolo do caixão.
    8. Qual é, no poema, o papel desempenhado pela lua?
    → O clarão da lua "sabe" e ilumina tudo. Acompanha interiormente os pensamentos tristes, acaricia-os. Apazigua com a noite.
    9. Explique o valor do diminutivo na palavra "soldadinho".
    → Talvez o facto de o soldado ser um rapaz novo. A partir dos dezoito anos, podiam partir para a guerra.
    10. Tente definir o valor duma sugestão em poesia.
    → Sugerir é menos brutal que dizer, explicar, anunciar a fria e dolorosa realidade. 

    2. Questions sur la vidéo

    Perguntas

    1. O vídeo mostra diferentes fotografias. O que representam?
    2. Depois da canção interpretada por Zeca Afonso, do que fala o filme?
    3. Quem são as pessoas entrevistadas?
    4. A jovem mulher não conheceu o pai. Porquê?
    5. Qual é a conclusão a que chega a menina?

    - Pistes pour les réponses

    Pistas para as respostas

    1. O vídeo mostra diferentes fotografias. O que representam?
    → Uma mulher, uma mãe? Uma rapariga, uma irmã ou uma namorada ou uma noiva? Um senhor, um pai? Soldados, a fazerem a guerra... O mar...

    2. Depois da canção interpretada por Zeca Afonso, do que fala o filme?
    → Fala de uma família de luto. Perderam um filho durante a guerra. Colonização. Descolonizar é o título do vídeo...

    3. Quem são as pessoas entrevistadas?
    → Os familiares de um soldado que morreu na guerra.

    4. A jovem mulher não conheceu o pai. Porquê?
    → Porque era muito bebé, novinha, quando o pai faleceu. Nem se sabe se o pai a conheceu...

    5. Qual é a conclusão a que chega a menina?
    → Que a guerra é terrível, para ela e para todos os que sofreram a mesma desgraça : perder uns filhos...

    3. Tradução

    Traduza para português as frases seguintes, inspirando-se dos versos do poema :

    Le monsieur pensif est bien triste car une lettre l'a fait pleurer.

    Il attend son fils qui est loin.

    Il craint pour sa vie.  

    - Pistes pour la traduction

    Pistas para a tradução :

    Le monsieur pensif est bien triste car une lettre l'a fait pleurer.
    O senhor pensativo anda bem triste porque uma carta o fez chorar.

    Il attend son fils qui est loin;
    Espera pelo filho que está longe;

    Il craint pour sa vie.
    Receia pela vida dele.
     

  • Fernando PessoaFernando Pessoa

    Fernando António Nogueira Pessoa nasceu em Lisboa no dia 13 de Junho de 1888 e faleceu em Lisboa no dia 30 de Novembro de 1935.
    Mais conhecido como Fernando Pessoa, foi um imenso poeta e escritor português.
    É considerado um dos maiores poetas de língua portuguesa. Foi considerado o mais representativo poeta português do século XX. Viveu a maior parte de sua adolescência na África do Sul. Teve uma vida discreta. Foi jornalista, actuou na publicidade, no comércio e, principalmente, na literatura. Costumou desdobrar-se em várias outras personalidades conhecidas como « heterónimos ».   

    Fonte : Wikipédia

Tags: Niveau B1 Littérature Poésie Notion : L’art de vivre ensemble

Clique para escutar o texto realçado !